Como fazer sua declaração de Imposto de Renda com day trade

Todo brasileiro deve fazer sua declaração de imposto de renda no início do ano. Mas pra você que opera na Bolsa, fazendo day trade manual ou com robôs, sabe como declarar seus investimentos?


Existe um tipo de processo específico para declarar operações de day trade na Bolsa. É bem diferente da declaração anual e você precisa ficar atento a todas as documentações!


Neste texto vamos abordar:

  • Qual é o valor da alíquota nas operações de Day Trade?

  • Documentos necessários para a declaração do Imposto de Renda no Day Trade

  • O que é DARF e qual sua importância?

  • Como emitir o DARF?

  • Como declarar IR das operações manuais ou com robôs no Day Trade?

  • Como funciona a declaração de renda no Swing Trade?

  • Em caso de prejuízo, como devo fazer?

  • O que fazer em caso de falha na declaração de IR?

Qual é a alíquota incidente nas operações de Day Trade?


As operações de day trade - aquelas que se iniciam e são finalizadas no mesmo dia - estão sujeitas a uma porcentagem maior de alíquota de Imposto de Renda, de 20% sobre o lucro das operações.


Se em um mês houver um prejuízo, não é necessário emitir o DARF. Você começa a pagar impostos no day trade apenas quando tiver lucro.


No caso do day trade, os prejuízos podem ser abatidos.


Documentação necessária para declaração do IR no Day Trade


Para evitar qualquer problema, é necessário ter todas as operações feitas documentadas. E como fazer isso? É só pegar o extrato na sua corretora! No extrato você terá todas as informações de operações efetuadas no mês, tanto compras como vendas.


Além disso, é necessário possuir uma nota de corretagem. Nesse documento, tem todos os dados das negociações que você realizou através da corretora: título, quantidade, valor que você comprou/vendeu. Você usa essa nota de corretagem para fazer os cálculos necessários.


Se você quiser ter mais uma documentação que vai te ajudar na sua declaração, vale a pena pegar a sua Custódia na corretora. Com esse documento você consegue confirmar e reconfirmar se sua conta para a declaração está correta.


As corretoras também divulgam Informes - seja de provento ou de rendimentos - de seus clientes. Com esse documento você terá uma facilidade maior de preencher os dados na hora de declarar seu imposto de renda referente aos proventos.


O documento mensal mais importante que você precisa é o DARF.



O que é DARF?


É necessário, para você que faz day trade, emitir um DARF com suas atividades na Bolsa de Valores. A sigla DARF significa Documento de Arrecadação de Receitas Federais. É uma guia emitida pelo Ministério da Fazenda e pela Receita Federal para a dedução e o pagamento de impostos em operações financeiras.


O DARF pode ser emitido de maneiras simples. Existem serviços de empresas que se especializam em gerar essa documentação. Eles têm plataformas que geram o documento através de notas de corretagem. Além disso, é possível emitir o DARF com um software da Receita Federal.



Como emitir o DARF?


É possível emitir o documento pelo próprio aplicativo online da Receita Federal. Ao entrar no site da Receita Federal, você deverá acessar o Sicalc - programa para cálculo e impressão de DARF online.


Não precisa fazer download nem nada. Ao entrar na plataforma, clique em pagamentos e basta inserir os códigos corretos no campo pedido: 6015 para pessoa física (ganhos líquidos em operação em Bolsa) ou 3317 para pessoa jurídica.


A partir daí, preencha o DARF com os dados das operações feitas no mês. No campo de preenchimento “Valor Principal” você preenche com o valor percentual do lucro no período declarado, ou seja, um mês.

Qual é a base de cálculo?


Para você fazer o cálculo correto é bem simples. O cálculo para o pagamento dos tributos referentes a operações na Bolsa de Valores é feito a partir dos valores de lucros e perdas durante o mês.



E como é feita a declaração?


Primeiro de tudo, no day trade, se faz uma declaração mensal para a Receita Federal. Ter seus dados organizados é essencial para não cometer nenhum erro durante sua declaração.


Tendo o seu histórico mensal em ordem, não há motivos para declarar incorretamente. Vale ressaltar que é importante separar os ativos (ações, opções, índices, moedas, etc). Essa divisão é importante pois cada tipo de operação tem uma regra própria de imposto de renda e elas devem estar separadas no controle mensal de suas operações.


Todos os documentos utilizados são essenciais para sua declaração. Todas as DARFs emitidas, notas de corretagem de operações e extratos de imposto emitido pela corretora. Essa organização faz com que no momento de fazer sua declaração do IR, tudo fique mais fácil.


Com os documentos em ordem, é só preencher os dados na ficha de renda variável da declaração. É importante colocar os prejuízos que aconteceram também. Depois disso, informe o lucro mensal de operações. É necessário informar os dados separadamente para cada ativo e cada operação.


E se houver prejuízo?


Como a declaração de day trade é mensal, existe a possibilidade de um mês você ter tido algum prejuízo. Nesse caso, é possível diluir o seu prejuízo nos seus lucros dos meses seguintes.


Caso haja um prejuízo acumulado, é possível abater com o lucro do mês anterior! Nesse caso, não há incidência de imposto no mês.


Então se você tiver um prejuízo acumulado e no mês seguinte conseguir abater esse exato valor em lucro, não haverá incidência de imposto neste mês.


No Swing Trade é diferente?


Sim! No Swing Trade a história é outra (com operações manuais e com robôs).


Nesse outro formato de operação, você é isento de tributação e da declaração de DARF caso os lucros e as vendas do mês sejam inferiores ao valor de R$20.000.


Para exemplificar, se você chegou a ter lucro e o total de vendas chegou no valor de R$20.000,01 (ou mais), é necessário emitir o DARF e pagá-lo com alíquota de 15%.


E se houver uma falha e a declaração for errada?


Nesse caso, provavelmente você vai receber uma multa do Leão da Receita Federal. Isso porque a Receita já possui os dados de todas as operações, via robôs ou não, por conta da corretora.


Ou seja, se houver algum erro ou atraso, você que é trader pode cair na malha fina.


Conclusão


Para evitar qualquer tipo de dor de cabeça, fique sempre atento com as documentações necessárias para declarar seus investimentos.


O DARF é muito importante para qualquer um que opera em renda variável. É preciso estar em dia com a Receita para evitar qualquer tipo de penalização ou até juros desnecessários.


Caso não esteja disposto a realizar esses processos por conta própria, existem empresas especializadas que auxiliam você que opera manualmente ou com robôs a realizar a declaração de Imposto de Renda de forma automática e a um preço acessível. Algumas exemplos são: Sencon, IRTrade e MyCapital.


Quer acessar mais conteúdos sobre investimentos em Renda Variável e robôs de investimento? Clique aqui para acessar nosso Blog.

  • Be On Invest - Canal no Youtube
  • Be On Invest - Facebook
  • Be On Invest - Linkedin
  • Be On Invest - Instagram

Alameda Santos, 1909 - Jardim Paulista.

São Paulo - SP

Be On Invest

Plataforma de Robôs de Investimento.

© 2020 Be On Invest.

CNPJ: 29.320.377/0001-00

Telefone: (11) 9 8991 - 2006
contato@beoninvest.com.br

Históricos de rentabilidade não são garantia de retornos futuros. O mercado de renda-variável assim como de Robôs de Investimento envolve riscos e está sujeito a eventualidades e efeitos externos diversos que envolvem imprevisibilidade e, assim, riscos financeiros, embora nosso trabalho vise minimizar tais riscos e conseguir o máximo de rentabilidade a nossos clientes. Robôs Trader