Análise Técnica: Teoria de Dow

Este artigo foi construído em parceria com Fábio Santos – Blog Meu Day Trade.


Teoria de Dow é a base de toda a análise técnica que conhecemos atualmente.


Por sua vez, a análise técnica é uma ferramenta muito difundida no mercado financeiro, seja em qualquer lugar do mundo, esse tipo de análise é utilizada por um grande número de investidores, analistas e Traders.


Sendo assim, o presente artigo detalha a Teoria de Dow, explicando os seus princípios e mostrando como podemos utilizá-la no day trade.


Teoria de Dow – Introdução


Criada há mais de 100 anos por Charles Dow, essa teoria nos traz princípios básicos do mercado financeiro, de como se comporta o preço de ativos e índices com o passar do tempo.


Ou seja, é uma teoria secular que até hoje transita em larga escala entre os mercados de renda variável.


Diariamente são tomadas decisões com base nos fundamentos na Teoria de Dow.


Quem foi Charles Dow?


Charles Henry Dow nasceu em 06 de novembro de 1851 em Sterling, Connecticut.

Esse pioneiro foi um jornalista norte americano que dedicou grande parte de sua vida a estudar o mercado financeiro.


Em 1882, em parceria com Edward Davis Jones fundou a agência Dow Jones & Company.


Tal empresa iniciou sua trajetória fazendo pequenas publicações sobre mercado financeiro e aos poucos foi crescendo e ganhando relevância.


Além disso, o reconhecimento foi tanto que em 1889 iniciou-se a circulação do jornal The Wall Street Journal, que hoje é reconhecido como um dos maiores jornais do mundo.


A parceria com Edward Davis Jones rendeu outros frutos, juntos também criaram o Índice que leva o sobrenome de ambos, o Índice Dow Jones.


Tal índice é um dos mais antigos e respeitados no mercado financeiro mundial e serve de parâmetro para diversas pessoas ligadas ao mercado financeiro.


Charles Dow faleceu em 04 de dezembro de 1902 aos 51 anos de idade.


Princípios da Teoria de Dow


Essa teoria tem seis princípios básicos e de muita importância para qualquer profissional de mercado.


Em resumo, demonstram como os preços se comportam com o passar do tempo, são eles:


1. Os Índices já descontam tudo


Charles Dow dizia que tudo o que envolve algum ativo já está incorporado ao seu preço.


Notícias, balanços de empresas, decisões governamentais ou qualquer outra informação disponível, tudo isso já está descontado no preço.


Ou seja, quando se tem conhecimento do fato, o preço já está ajustado.


Nesse sentido, mesmo que seja um fato altamente inesperado como uma catástrofe natural.


Ou um ataque terrorista como o que tivemos no EUA (ataque às torres gêmeas), o preço vai de início “rabiscar” no curto prazo, mas também já irá incorporar tal evento de maneira instantânea.


Portanto, a tendência primária não será afetada.


Concluindo, tal fundamento diz que não precisamos realizar análises paralelas para tomadas de decisão.


Basta somente analisar o comportamento do preço, independentemente de qualquer outro fator externo.


2. O mercado tem três tendências


Segundo esse princípio da Teoria de Dow, o mercado tem 3 tendências, Charles Dow os dividiu fazendo uma analogia com os movimentos do mar, são eles:


  • Tendência primária

É como se fosse o movimento maior do mar, ou seja, a maré.


Nesse sentido, são movimentos que duram meses e até anos. Tais movimentos podem ser de alta ou de baixa. Muitos dizem inclusive que a tendência primária é tão importante e vigorosa que é impossível manipulá-la.


Essa manipulação até é possível no curto prazo, em tendências menores. Entretanto, no longo prazo a tendência primária não será alterada, o que demonstra todo o seu poder.


  • Tendência secundária

Na analogia feita por Dow, seria o movimento das ondas do mar. Sendo assim, são movimentos que duram de 3 semanas a até 3 meses. São movimentos dentro da tendência primária.


Ou seja, durante uma tendência primária de alta, o preço sobe e desce, fazendo uma espécie de zig zag dentro da tendência maior.


  • Tendência terciária

Aqui seria o movimento das marolas que acontecem entre as ondas. Portanto, são movimentos que duram menos de 3 semanas, ou seja, ocorrem dentro de uma tendência secundária.


Nesse contexto, para quem opera day trade o mais interessante é acompanhar a tendência terciária.


Uma vez que, movimentos de vários meses e anos não tem tanta relevância no intraday. No day trade, muitos Traders usam esses conceitos de 3 tipos de tendências.


Utilizando-se de 3 tempos gráficos para analisar os movimentos do ativo operado. Uns usam gráficos de 1, 5 e 15 minutos, outros de 5, 15 e 60 minutos.


Nesse sentido, utilizam o tempo maior como tendência primária, o menor como tendência terciária (ruído) e o intermediário como tendência secundária.


Ou seja, enxergam a movimentação do preço como fractais, formando o que é conhecido como ondas de Elliott.


Na imagem acima fica mais clara a teoria de que os preços se movimentam em fractais.


Sendo assim, concluirmos que é perfeitamente possível utilizar os conceitos da Teoria de Dow para se operar day trade.



3. A tendência primária tem 3 fases


Segundo a Teoria de Dow, a tendência mais duradoura é dividida em 3 etapas, são elas:

  • Acumulação

Considerada o melhor momento para comprar o ativo, pois é uma espécie de antecipação ao movimento futuro.


Sendo assim, é melhor aproveitada por investidores mais bem preparados e qualificados.

Ou seja, esse investidores começam a montar posições.


Essa preparação e qualificação é fundamental para qualquer profissional do mercado. Uma boa gestão é essencial. Nesse sentido, a Planilha Day Trade Anual fará com que sempre estejamos preparados para aproveitar as oportunidades que o mercado dá.


  • Participação pública

Nesse momento alguns outros investidores já conseguem enxergar o movimento e também começam entrar nas operações.


Nesse sentido, o preço passa a ter um movimento significativo, com certo aumento de volume.

  • Distribuição

Nessa etapa já está bem claro o movimento. A grande mídia já noticia o rali em questão.


É nesse ponto que entram os investidores menos preparados, pois se tomam posições sem qualquer tipo de análise.


Ou seja, entram nas operações somente por que todo mundo está dizendo que vai cair ou subir.

Entretanto, é nesse momento que os investidores mais preparados que se posicionaram na acumulação começam a realizar seus lucros.


Daí vem a frase: “A bolsa sobe no boato e cai no fato”, pois a realização do lucro por parte dos grandes tubarões do mercado na verdade vai fazer o mercado corrigir.


Nessa correção, em algum ponto todo o ciclo recomeçará, com acumulação, participação pública e distribuição, e o “jogo” continua.


A imagem abaixo ilustra como as fases acontecem no gráfico.


4. Os índices e médias devem confirmar uns aos outros


Nesse princípio, a Teoria de Dow diz que índices de mercado devem caminhar juntos.


Ou seja, para que se tenha confiabilidade na análise todos devem estar apontando para a mesma direção.


Partindo para a prática, é como se quiséssemos comprar ações de uma empresa do setor siderúrgico por exemplo.


Ao analisarmos a CSN, precisaríamos avaliar como estão os preços das outras empresas do mesmo setor como Gerdau, Usiminas ou algum índice específico do segmento.


Segundo a Teoria de Dow, se as análises estiverem apontando todas para o mesmo lado, teríamos aí uma análise mais confiável.


5. O volume deve confirmar a tendência


Segundo Charles Dow, a movimentação do preço do ativo deve ser confirmada pelo aumento do volume de negociações.


Nesse sentido, movimentos de preço sem volume não teriam o mesmo grau de confiabilidade.


No day trade por vezes notamos movimentos assim, onde o preço se move sem volume expressivo.


Ou seja, não é a presença de muitos players que faz o preço se movimentar, mas sim a ausência deles.


Pois na verdade o que ocorre nesses casos é que existe um número reduzido de ofertas.


Sendo assim, poucas negociações fazem o preço “andar” com certa facilidade, mas não com tanta confiabilidade.


Na imagem acima, a tendência de baixa começou com volume acima da média e durante a tendência de baixa novos rompimentos de fundos foram confirmados com aumento expressivo de volume.


6. Uma tendência irá ocorrer enquanto não houverem sinais de reversão


Aqui cabe uma observação sobre o que é uma tendência.


Ouvimos muito as seguintes frases: “o mercado está em tendência de baixa”, “não opere contra a tendência”, “a tendência é amiga do Trader”.


Independentemente do que cada um acredita, temos que estar cientes que, quando falamos de tendência no mercado financeiro, na verdade estamos falando em uma probabilidade de acontecimentos de fato futuro.


Quando dizemos que o mercado está em uma tendência de alta, na verdade estamos vendo o passado (topos e fundos ascendentes) e que a tendência é que ele continue fazendo topos mais altos.


É um princípio que pode ser comparado com uma das leis fundamentais da física:

“Um corpo em movimento continuará em movimento até que outra força contrária seja exercida sobre ele” – lei da inércia, de Issac Newton.

Nesse sentido, um mercado que fez topos e fundo ascendentes tende a continuar realizando o mesmo movimento.


Contudo, em algum momento por qualquer motivo esse movimento pode mudar.


Sendo assim, quando falamos em tendência em mercado financeiro é mera probabilidade, nada com 100% de certeza.


Analisando esse princípio da Teoria de Dow, podemos concluir que Charles Dow entendia que uma tendência de alta só mudaria quando fosse substituída por outra.


Porém, essa substituição deve ser confirmada com sinais.


Ou seja, mercado com topos e fundos ascendentes só muda quando algum fundo for rompido, fizer topo menor que o topo anterior e confirmar com fundo mais baixo que o anterior.


Como podemos utilizar a Teoria de Dow no Day Trade?


Apesar de os conceitos dessa teoria serem mais utilizados para operações de longo prazo, podemos aproveitá-los para realizarmos operações day trade.


Isso é possível pois, independentemente do tempo gráfico, os participantes são os mesmos e tem reações idênticas aos praticantes de operações mais duradouras.


Conceitos como tendência, topos e fundos, tempos gráficos e volumes são importantes também no day trade.


Contudo, cada Trader deve utilizar tais conceitos de maneira a melhorar de algum modo seu desempenho.


Desempenho esse que pode ser otimizado com a Planilha Day Trade Anual. Indispensável para qualquer Trader profissional.


Ainda assim nem todas as pessoas possuem tempo ou confiança para aplicar os conceitos citados anteriormente no trade. Seja por deixar o lado emocional interferir demais ou por trabalhar nas horas em que a bolsa está aberta.


De qualquer forma você ainda pode automatizar seus investimentos de day-trade.


Os Robôs de Investimento são boas saídas para quem busca se aventurar no mundo do day-trade mas por diversos motivos não conseguem ou não atingem um bom resultado.


Você pode buscar estratégias automatizadas de investimentos de day-trade, os Robôs Trader, que mais se aproximam das estratégias que usaria ao operar manualmente, fazendo uma gestão de risco mais eficaz em seus investimentos.


Críticas à Teoria de Dow


Apesar de a Teoria de Dow já ter mais de 100 anos e nesse período ter ganhado muito respeito, não escapou de várias críticas.


Sendo que a maior delas é de que a Teoria de Dow perde 20% a 25% de um movimento.


Ou seja, dizem que a confirmação para entrar na posição é atrasada, pois se dá em rompimentos de topos ou fundos anteriores, onde então a tendência se confirma.


Tal fato é questionado por inúmeros Traders, pois esse atraso faz com que não consigamos pegar todo o movimento.


Contudo, sabemos que o Trader é um eterno insatisfeito. Se acerta o movimento, não fica satisfeito pois queria pegar o movimento todo.


Já quando pega todo o movimento (compra na mínima e vende na máxima) também não fica satisfeito pois queria estar com uma quantidade de lotes maior.


Porém, independente de acertarmos ou não o movimento completo, devemos estar cientes que o mercado é imprevisível e que tudo pode acontecer.


E esse é justamente o discurso de quem defende a Teoria de Dow, dizem que ela não deve ser utilizada para adivinhar o futuro, mas sim para nos dar mais probabilidades de acerto no trades.

Sendo assim, cabe aos Traders analisar, decidir e gerenciar operações da melhor maneira possível para no fim sair vencedor, podendo até usar Robôs de Investimento e automatizar todas suas operações.


Conclusão


É inegável que a Teoria de Dow se faz presente no mercado financeiro mesmo tendo mais de 100 anos de existência.


Seus fundamentos ainda ecoam nas conversas entre Traders, analistas e pessoas ligadas ao mercado financeiro.


Parte dessas pessoas criticam a teoria, outras a defendem. Uns dizem que funciona, já outros dizem que não.


Entretanto sabemos que na verdade nenhuma teoria, técnica ou método nos dará resultados 100% positivos.


O que cabe a nós Traders é conhecer sobre o tema, e tentar filtrar o que realmente nos servir.

Temos a certeza que no fundo, o que funciona para uns não funciona para outros.


Uma vez que cada Trader tem características próprias e únicas, formadas com base em todo seu histórico pessoal e profissional.



Dúvidas, entre em contato ou deixe seu comentário.


Acesse o site www.beoninvest.com.br, conheça mais sobre estratégias automatizadas e comece a investir com robôs!


Os Robôs de Investimento vieram para facilitar a vida do trader e até trazer uma nova forma de investimento para quem não é trader. Faça um teste totalmente gratis em nossa plataforma e veja como entrar na nova era de investimentos é rápido e fácil.


Cadastre-se e receba acesso gratuito à todos os robôs de investimento em conta demo.




Este artigo foi construído em parceria com Fábio Santos – Blog Meu Day Trade.

Conheça a Planilha anual de Day Trade do Fábio Santos – Blog Meu Day Trade clicando aqui

  • Be On Invest - Canal no Youtube
  • Be On Invest - Facebook
  • Be On Invest - Linkedin
  • Be On Invest - Instagram

Alameda Franca, 243 - Jardim Paulista.

São Paulo - SP

Be On Invest

Plataforma de Robôs de Investimento.

© 2020 Be On Invest.

Telefone: (11) 9 6169-4558
contato@beoninvest.com.br

Históricos de rentabilidade não são garantia de retornos futuros. O mercado de renda-variável assim como de Robôs de Investimento envolve riscos e está sujeito a eventualidades e efeitos externos diversos que envolvem imprevisibilidade e, assim, riscos financeiros, embora nosso trabalho vise minimizar tais riscos e conseguir o máximo de rentabilidade a nossos clientes. Robôs Trader